Caos Organizado.

Finalmente consegui minha cópia de Super 8. Blu-ray cheio de extras e um dos melhores filmes do ano passado. Ainda não aproveitei muito do material, mas já curti de novo a famigerada cena do acidente de trem. Se brincar, o acidente ao todo não dura mais que dois minutos, mais ainda impressiona. É um exemplo do que eu gosto de chamar de caos organizado no cinema.

Dirigir uma cena de caos organizado exige um diretor eficiente, paciente e cheio de talento. Além de uma montagem inteligente, ritmada e tomadas coesas. JJ Abrams já havia mostrado habilidade para isso em Missão Impossível 3 e depois em seu Star Trek. Mas na sequência do desastre de Super 8 ele conseguiu algo extraordinário.

Algo parecido com o acidente de trem de O Fugitivo, no qual Harrison Ford escapa da prisão e começa sua busca desesperada pelo assassino de sua mulher. Começa com um derrapamento, vira uma tentativa de sair de um ônibus, de repente é correria porque o trem está vindo e fecha com o desastre gigantesco, com o protagonista pulando de destroços enquanto estes são atingidos pelo veículo monstruoso.

É uma escalada assustadora e uma cena antológica, mas outros diretores preferem fazer cenas assim em um take, como o Joe Wright, que fez a cena do evacuamento de Dunkirk em uma tomada para acelerar a gravação por causa do pouco tempo de luz que teriam. Para isso, movimentaram mais de 1000 figurantes contando vários detalhes de história em um dos momentos mais importantes do filme por aproximadamente 5 minutos contínuos. O cinegrafista terminou destruído. A cena, ficou marcada para sempre no cinema.

Outro diretor que resolveu brincar disso foi o Alex Proyas, no infame Presságio. Por mais que o filme seja duvidoso, seus “caos organizados” são maravilhosos. Primeiro um acidente de avião retratado em uma tomada, na qual Nicolas Cage percorre os destroços e tenta ajudar alguns sobreviventes. Depois é a vez de um acidente no metrô. O número de mortes, a forma como Proyas mostra como é o resultado dos trens destruindo a estação. Tem pessoas sendo esmagadas, atropeladas, partidas em pedaços.

Filmes como Star Wars e outros do Spielberg são recheados de cenas assim. A batalha contra Jaba no começo de O Retorno de Jedi, a abertura de O Resgate do Soldado Ryan. O próprio George Lucas afirma em um dos extras de Star Wars que seu amigo é um dos melhores diretores de cenas do tipo. Mostrando eventos com diversos personagens em situações diferentes sem perder o ritmo, a lógica e o interesse.

Eu adoro cenas assim. Sei que a maioria são cheias de efeitos e técnicas que fogem da filmagem pura, mas quando funcionam me deixam na ponta da cadeira.

GERÔNIMOOOO…

Sobre Vina

Publicitário frustrado, editor, cinegrafista, assistente e sonhador. Cinema é algo que não se entende completamente. Sempre se estuda.
Esse post foi publicado em Cenas e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s