Clichês.

Tive um professor que com certeza era, dentre todos que conheci pessoalmente, a pessoa que mais entende de cinema. O cara abriu meus olhos para uma forma nova de ver filmes e me inspirou a continuar estudando o assunto. Um dia, durante uma aula, ele disse que não gostou de Cisne Negro porque achou o filme clichê.

Eu não levei isso muito a sério, mas me fez pensar sobre o assunto. Afinal, eu adoro o filme e tive que admitir que ele tem vários elementos que podem ser considerados clichês. Então me lembrei da primeira vez em que assisti Casablanca.

Gosto bastante de Casablanca, mas quando o vi pela primeira vez fui ficando incomodado com o número de clichês. Só quando chegou ao final que entendi. São clichês hoje, mas no filme eram novidades. Ou seja, são clichês que só se tornaram clichês porque foram imitados do filme.

Porque no filme eles funcionam. Simples assim. Clichês são fatores que funcionam e por isso são usados a exaustão. O problema é que as pessoas falam deles sempre de forma negativa. Mas quando é bem utilizado, ninguém lembra que é um clichê.

Existem tantos filmes sobre casais que não se dão bem que eventualmente se apaixonam, sobre homens incriminados injustamente que precisam provar sua inocência, sobre pessoas diferentes que aprendem com suas diferenças a superar obstáculos individuais. Quando é bem feito e o resultado é positivo, ninguém fala mal. Quem vai dizer que Encontros e Desencontros, O Fugitivo e Intocáveis são clichês. Apesar de se encaixarem nas tramas listadas acima.

É muito fácil julgar um filme por usar elementos que se tornaram padrão. Acho mais apropriado julgar por usar mal esses elementos, como cachorros e crianças se salvando de qualquer catástrofe, toda bomba ter cronômetro e desativar ao cortar o fio vermelho, o chefe de polícia ser sempre um cara muito irritado.

Clichês caem no bizarro e no ridículo. Mas podem ser ferramentas úteis para desenvolvimento de história. Então, antes de usar clichês como argumento para falar mal de um filme, tente argumentar sobre como foram mal utilizados.

Para fechar, fiquem com o vídeo Cool Guys Don’t Look at Explosions, cujo tema é o meu clichê bizarro favorito, heróis se afastando de explosões em câmera lenta.

 

GERÔNIMOOOOO…

Sobre Vina

Publicitário frustrado, editor, cinegrafista, assistente e sonhador. Cinema é algo que não se entende completamente. Sempre se estuda.
Esse post foi publicado em Discussão e marcado , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Clichês.

  1. Marcelo disse:

    Descobri o blog somente agora, muito bom. Fiquei curioso sobre quais seriam os cliches em cisne negro…teria como fazer um post sobre? abraços

    • Vina disse:

      Pauta anotada. Vou precisar de um tempo para rever o filme e fazer umas notas, mas vou fazer um texto sobre, sim.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s