Histórias que nos transformam.

before-sunset-ethan-hawke-julie-delpy

Lembro bem especificamente de quando assisti Antes do Pôr-do-Sol. Foi no mesmo dia em que vi Closer – Perto Demais. E eu, molequinho desenvolvendo personalidade, me peguei em choque. Foram dois filmes cujas mensagens me influenciaram fortemente e que são contrárias.

Closer – Perto Demais joga na cara do romantismo que ele é falho e destrutivo. Chega a ser cruel. Já Antes do Pôr-do-Sol é um desses romances inteligentes que não têm medo de serem realmente lindinhos e esperançosos em relação a amor e espectativas de relacionamentos.

natalie_portman_closer_by_snobvot-d4bm7jd

Closer, desilusão cruel.

Em determinada cena de Closer, Larry e Dan, vividos por Clive Owen e Jude Law respectivamente, têm uma discussão sobre seus atos. Dan abandona a namorada Alice, vivida pela Natalie Portman, porque sentiu amor à primeira vista por Anna, personagem de Julia Roberts, namorada de Larry.

Dan argumenta que fez o que fez porque estava seguindo seu coração. Larry responde que o coração é um músculo do tamanho de um punho. Do diálogo fica clara a mensagem de que noções como amor à primeira vista e amor eterno podem ser coisas erradas. Ao seguir os ideais românticos, Dan e Anna destroem relacionamentos e sentimentos de pessoas por quem se importam.

Antes do Pôr-do-Sol conta a história de um casal que teve uma espécie de história romântica ideal mas que, por conta das idas e vindas da vida, acabaram separados. Quando se reencontram depois de nove anos começam a contrastar suas vidas e desilusões. Daí percebem o quanto realmente se amaram e o filme acaba sugerindo a ideia de que são almas gêmeas de forma inteligente e muito envolvente.

Lá estava eu, no meio da adolescência, perdido feito um idiota em pensamentos sobre paixões e amores e de repente me pego com essas duas mensagens. Foi a primeira vez que percebi o quanto a arte pode influenciar em quem nós somos. Decisões importantes da minha vida foram tomadas baseadas em lições que tirei desses filmes.

Pensando na vida como um todo começam a vir histórias e personagens que me inspiraram a ser quem eu sou. Quando criança assistia religiosamente o desenho de 1994 do Homem-Aranha. O personagem me influenciou profundamente. Homem-Aranha sempre foi sobre um jovem que precisa sacrificar tudo de si pelo bem dos outros, que normalmente o tratam mal.

Ele deixa de encontrar a garota de seus sonhos para salvar um bandido de um monstro. Quando está nas piores situações e pronto para se entregar ao cansaço e à própria morte, ele lembra de sua tia em perigo e ressurge, mesmo combalido depois de uma batalha maior do que deveria enfrentar.

73750-4

Homem-Aranha, suas imperfeições o tornam ainda mais heróico.

Mais velho, assistindo uma série chamada Gilmore Girls, sobre relacionamento entre uma mãe e uma filha, conheci o personagem Luke Danes. Luke é o dono de uma lanchonete que se apaixona por uma de suas clientes. Pelo decorrer das seis temporadas, ele é rejeitado, maltratado, passado para trás, esquecido e abandonado. Mesmo assim, sempre que ele precisa decidir o que fazer ou como reagir, ele se controla e faz a coisa certa. Seja essa coisa ajudar um homem que odeia a ficar bem, ou proteger o sobrinho delinquente que não tem consideração por ele. Luke é o tipo de pessoa que vai fazer tudo, inclusive aguentar dor e sofrimento para o bem das pessoas a sua volta.

Luke, maior que o sofrimento imposto a si mesmo.

Luke, maior que o sofrimento imposto a si mesmo.

Cinema, como toda arte, é expressão. Seja ela expressão de sentimentos, de ideias ou de raciocínios. Às vezes uma coisa boba toca a gente e nos faz mudar. Decidimos nos transformar em pessoas melhores ou mudar como encaramos o mundo. Dei quatro exemplos rápidos de materiais que me influenciaram. Tenho um amigo queridíssimo que decidiu ser jornalista por conta de um personagem que admira acima de tudo. É uma coisa pessoal e que pode parecer besta, mas é de extrema importância para cada um.

 

GERÔNIMOOOOOOOOO…

Sobre Vina

Publicitário frustrado, editor, cinegrafista, assistente e sonhador. Cinema é algo que não se entende completamente. Sempre se estuda.
Esse post foi publicado em Discussão e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s