Mundo da Mari – A Casa Monstro

a-casa-monstro-hg-200910281

Ao pesquisar sobre a parte técnica do filme, tive uma grata surpresa, quanta gente boa por trás das câmeras. Pessoas que inclusive foram responsáveis por filmes que eu adoro. Entre elas, Steven Spielberg e Robert Zemeckis.

Maravilha!

O primeiro dispensa apresentações, produtor de tantos filmes de sucesso como Uma Cilada para Roger Rabbit (1988), Os Goonies (1985), De Volta para o Futuro  I , II e III, respectivamente lançados em 1985, 1989 e 1990. O segundo dirigiu Forrest Gump: O Contador de Histórias (1994) e Náufrago (2000).  Em alguns desses, os dois trabalharam juntos. A dupla está presente também em A Casa Monstro e em tantas outras que não citei aqui.

A Casa Monstro (Monster House), lançada em 2006, é uma animação com captura de movimentos.  Essa técnica tem o nome de Motion Capture (Mocap) e consiste em gravar ações de atores humanos e usar as  informações para animar os  personagens virtuais.  A técnica usada na composição do personagem Gollum, interpretado por Andy Serkis na trilogia O Senhor dos Anéis e na trilogia O Hobbit.

Na época do Dia das Bruxas, DJ Walters, um garoto de 12 anos, se encontra em conflito por estar deixando a infância e entrando na adolescência. Julga não ter mais idade para doces ou travessuras.  DJ acredita haver algo de errado na casa em frente à sua ao presenciar o desaparecimento de toda e qualquer coisa que caia no gramado da tal casa. Ele tenta avisar a todos,  porém ninguém acredita nele. A história se desenrola em função dessa curiosidade e na resolução do mistério com a ajuda de Bocão e Jenny, uma recente adquirida amiga. Epaminondas, o morador da casa, demonstra ser uma pessoa totalmente diferente do que DJ pensava. Entre muitas tentativas, os três descobrem que não será fácil destruir a casa monstro.

O trio principal.

O trio principal.

Em sua versão original, as vozes e movimentos são feitos pelos seguintes atores: Mitchel Musso (Série Hannah Montana) como DJ Walters, Jason Lee (Alvin e os Esquilos) como Magrão, Steve Buscemi (A Herança de Mr. Deeds) como Epaminondas, Jon Heder (E Se Fosse Verdade) como Skull, Catherine O’Hara (Esqueceram de Mim) como Sr.ª Walters (mãe de DJ), Kevin James (Gente Grande) como o policial Landers, Maggie Gyllenhaal  (Batman: O Cavaleiro das Trevas) como Zee e Kathleen Turner (Mamãe é de Morte) como Constance/Dama Gorda/Casa Monstro.

Animação interessante essa, terrorzinho para crianças. Passou nos critérios de avaliação da Mari facilmente. Ainda não havia passado esse filme por achar que ela ficaria com muito medo. Ela ficou meio apreensiva, perguntando se o personagem morador da casa monstro era realmente mau. Suas expressões quando a casa ganhava vida não eram bem de medo, e sim de curiosidade. Seu priminho que tinha a mesma idade dela na época do lançamento teve muito medo e nem sequer chegou a terminar de assistir.

Mas olha que curioso, quando perguntei à Mari o que ela tinha achado, ela me respondeu que gostaria de ver novamente e que tinha um certo medo. Mas ela gostou bastante do filme, sempre me surpreendendo.

Como mãe e como colunista, aprovei o filme. Divertido, bem estruturado e o desenrolar da história e dos personagens tem fácil entendimento.

A Casa Monstro entretém adultos e crianças ao longo dos seus 91 min de duração. Tem um certo clima de sessão da tarde e de temperatura máxima. A trama é bem previsível. Tudo termina bem depois de muitos contratempos e riscos. O que não desabona o filme. Muito pelo contrário, eu recomendo!

Esse é o último post do ano! Espero continuar a contribuir com o blog e com o Vina, meu querido amigo e editor, a quem devo agradecer pela confiança, carinho e atenção.  Agradeço também a todos que passaram por aqui e deram uma lida na coluna, principalmente à linda Marina Faeda e à sensacional Fernanda Queiroz. Ambas me apoiam a continuar escrevendo. Elogios vindos delas é uma honra e tanto, pois as duas são profissionais das letras e sabem bem do que estão falando. Aos três citados aqui, declaro a minha admiração e o meu muito obrigado pelo apoio!

 

Beeeijo grande!

Sobre Aysla de Oliveira

De essência ímpar, feminista, amiga, justiceira em tempo integral e mamãe da Mari.
Esse post foi publicado em Filmes e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Mundo da Mari – A Casa Monstro

  1. Marina Faeda disse:

    Tenho lido tudo tão na correria, que nem tenho comentado em nada – falha minha! Mas não deixo de ler nenhuma das suas opiniões, e vou reforçar o que já disse: você é incrível nisso, não pode parar nunca!

    Mari é sortuda de ter uma mãe assim incrível! E eu também sou, pq essa pessoa incrível entrou aqui na minha vida, pra não sair nunca mais! ❤

  2. fernanda disse:

    Você é incrível, vida inteligente nesse mundo de poucas mentes reagindo. Sou sua fã.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s