47 Ronins

47-Ronin-Official-Trailer-1-47-ronin-35169797-1920-1080

A lenda dos 47 Ronin é uma das mais significativas da história do Japão. País de tradições rígidas e cultura muito diferente, tem na lenda do sacrifício dos 47 samurais sem mestre um dos exemplos fundamentais do Bushidô, código de conduta dos samurais. Pouco se sabe do quanto a lenda é real e fictícia, mas a história inspira japoneses ainda hoje e finalmente ganhou uma versão ocidental.

Após a morte do senhor do feudo que protegem, samurais se tornam ronins e são banidos de suas terras. O líder foi aprisionado por um ano até ser solto. Agora ele planeja reunir o grupo para conseguirem a vingança e seu senhor possa descansar em paz.

A versão americana certamente não é a primeira a tratar da lenda. Acredita-se que surjam pelo menos uma adaptação da história a cada dois anos no Japão. Nem todas em forma de filme. O que o novo filme faz é tentar mostrar um pouco da cultura do país com um tanto da visão ocidental.

Para a realização, nomes asiáticos que fizeram sucesso no cinema norte-americano foram reunidos com a adição do Keanu Reeves. A proposta é focar nos valores do Bushidô que guiaram aqueles homens. Mas nada de realismo, a história se passa em um Japão fantástico, com demônios, feiticeiras e seres mágicos da floresta. Todos seguindo conceitos da cultura mitológica do país.

Então a produção toma liberdades na construção do mundo. A direção de arte constrói os feudos e as paisagens acrescentando aqui e ali imagens relacionadas às mitologias. Os feudos representados possuem cores diferentes que expressam características diferentes. Cada peça de roupa usa bases tradicionais japonesas com detalhamentos inventivos que acrescentam aos personagens e à realidade um pouco de fantasia.

Mundo de cor e beleza.

Mundo de cor e beleza.

O resultado são imagens lindas. Carl Rinsch estreia na direção de longa-metragens criando enquadramentos que exploram a beleza da mistura de cores com as maravilhosas cerejeiras soltando pétalas para todos os lados. O 3D realça tudo sem ser invasivo.

O Keanu Reeves é um profundo adorador da cultura japonesa e não tem problema em participar em um papel secundário. Apesar do que o marketing do filme tem vendido, o protagonista é interpretado pelo Hiroyuki Sanada. Sanada é um grande ator e aproveita bem a chance de se mostrar aqui. Ele enche o Oishi, líder dos samurais, com carisma e conflitos identificáveis.

47-Ronin-Official

Reeves e Sanada. Reeves dá espaço para o ator japonês tomar conta do filme.

É claro que o estúdio cobrou maior presença de Reeves na tela, mas ele não rouba a cena de Sanada e ainda serve de degrau para que o personagem do ator japonês ganhe destaque. A presença de Reeves garantiu orçamento para que o visual fosse incrementado com efeitos visuais gerados em computador. Com eles, aranhas, dragões e touros gigantes ganham vida. Todos com a variação de cor que segue o padrão do filme.

O problema é que os efeitos computadorizados tem as texturas um pouco mal trabalhadas. Apesar da excelente animação por trás, é impossível não notar que diversos dos elementos parecem falsos.

A montagem atrapalha bastante o ritmo. A história é tão rica e cheia de detalhes que o filme iria requerer mais tempo para a construção. Infelizmente, o estúdio nunca aceitaria algo muito maior que as duas horas de duração. Então os realizadores são obrigados a picotar o negócio, o que diminui bastante a qualidade da produção.

As cenas de ação são muito bem realizadas, apesar da montagem as fazer ficar um tanto confusas. Elas ainda enchem a tela com beleza e os momentos fantásticos envolvendo lutas com os efeitos especiais conduzem bem o espectador.

Mas o que mais acrescenta ao filme é a coragem de realizar o final, que segue os valores exatos do Japão. Nada de heroísmo, felicidade fácil ou resoluções sem sentido. O único erro desta parte é se estender demais. São várias cenas consecutivas que poderiam ter sido cortadas.

47 Ronins é uma bela homenagem a uma cultura diferente da qual todos podem aprender alguma coisa. Recomendadíssimo.

 

FANTASTIC…

Sobre Vina

Publicitário frustrado, editor, cinegrafista, assistente e sonhador. Cinema é algo que não se entende completamente. Sempre se estuda.
Esse post foi publicado em Filmes e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para 47 Ronins

  1. Jonas Godoy disse:

    eu estou ansioso para ver esse filme.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s