Grande Menina, Pequena Mulher

20472341.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxxGrande Menina, Pequena Mulher (Uptown Girls) é um filme de 2003, produzido pela Silvercup Studios e distribuído pela Fox Filmes. Molly Gunn (Brittany Murphy) cresceu sustentada pela herança de seu pai uma estrela do rock morto quando ela ainda era uma criança. Não precisou lidar com adversidades até um dia em que descobre ter sido roubada, e precisa arrumar um emprego para se sustentar. Ao procurar por sustento ela vai parar como babá de uma garotinha um tanto quanto diferente. A menina se chama Ray (Dakota Fanning ), que teve um amadurecimento precoce devido à ausência de sua mãe e a uma fatalidade que acometeu seu pai, dando lhe uma vida vegetativa preso a aparelhos em uma cama. As duas realidades se confrontam de tal forma que muda a perspectiva acerca da vida das duas. Essa convivência as ajuda a enxergar o que realmente são e o que precisam para serem elas mesmas. Juntamente com a história principal corre em segundo plano o amor que Molly sente por Neil, que só pensa em sua carreira musical deixando-a em segundo plano.

Mostrar a evolução de uma mulher mimada enfrentando responsabilidades reais e o encontro da criança interior de uma menininha de 8 anos que precisou lidar com situações diversas cujas quais a fizeram amadurecer antes do tempo. É uma proposta bem interessante. Boaz Yakin, o diretor do filme só não soube enriquecer melhor as cenas. Seria mais interessante aprofundar na história de cada uma, pesar a mão um pouco mais na emoção, e explorar mais a relação de Ray com sua mãe.

Como costumo fazer com todos os filmes nos quais tenho interesse, procuro sempre pesquisar sobre, tendo o cuidado de não ler outras críticas para não ser influenciada. Apesar do cuidado acabei me deparando com uma opinião negativa da crítica especializada da época condenando o filme. Não concordo completamente.

O enredo e o desfecho são bem previsíveis, mas a história é linda. É possível emocionar-se com algumas cenas entre as personagens principais. A diversão também está presente. Há uma cena em que Ray faz sua apresentação de ballet inspirada em Molly. O desenrolar da história se dá de uma forma agradável e simples.

 

Grande beeeijo!

Sobre Aysla de Oliveira

De essência ímpar, feminista, amiga, justiceira em tempo integral e mamãe da Mari.
Esse post foi publicado em Filmes e marcado , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Grande Menina, Pequena Mulher

  1. marinafaedda disse:

    Podem me julgar, mas eu adoro esse filme! E o final sempre me faz chorar horrores! =)

    Um beijo, Ayslalinda!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s