Cenas que amamos – Como Treinar o seu Dragão (primeiro toque)

httyd

Como Treinar o seu Dragão é um filme que funciona de uma forma muito mágica. Quando o assisti no cinema não esperava muita coisa. Com o título e a lista de filmes que a Dreamworks havia lançado até então, parecia ser um filme muito chatinho e infantilóide. Ver um filme que equilibra comédia, sensibilidade e ação em um roteiro enxuto sem muitos floreios revela muita habilidade. Como o segundo filme está para estrear, não custa nada dar uma relembrada no primeiro.

Os motivos pelos quais o filme é tão bom são muitos. Não basta ser um filme rápido e divertido, também é envolvente com o relacionamento do menino com um dos dragões mais perigosos daquele mundo. Ao mesmo tempo, temas como relações entre pais e filhos, guerra e paz e inadequação criam uma simpatia muito forte com os conflitos sem ser piegas nem exagerado em nenhum momento.

Também é preciso dar os créditos para a animação. A forma como os personagens se movem com pequenos gestos que são tão representativos de suas personalidades e sentimentos é excelente. Sempre me comovo quando, no final do segundo ato, Soluço tem uma briga com seu pai e a animação do progenitor mostra ele perdendo o equilíbrio por um rápido segundo. É de partir o coração.

Lá pelas tantas, depois de os dois protagonistas, o humano Soluço e o dragão Banguela, já terem descoberto muito um sobre o outro, vem esse pequeno momento onde eles finalmente se permitem estabelecer um contato físico. Soluço se encontra desanimado com a distância que o dragão mantém. Então, enquanto passa o tempo desenhando o ser misterioso no chão, a criatura faz uma tentativa de se revelar um pouco. Quando o menino tenta compreender, a música maravilhosa do John Powell vai elevando os ânimos até que temos esse momento extremamente íntimo e belo entre eles. Nada grandioso ou melodramático. Apenas uma demonstração de que é possível fazer algo belo e profundo com sutileza e simplicidade.

A cena, com uma qualidade um pouco porca, a única versão online que encontrei.

ALLONS-YYYYYYYYY…

Sobre Vina

Publicitário frustrado, editor, cinegrafista, assistente e sonhador. Cinema é algo que não se entende completamente. Sempre se estuda.
Esse post foi publicado em Cenas e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s