Kung Fury

Captura de Tela 2015-06-01 às 23.42.20

Imagine que alguém, em algum canto, encontrou um VHS perdido de um filme dos anos 1980. Com esta cópia única do que seria uma pérola perdida, a versão distribuída pelo youtube saiu com essa qualidade. Um espécime fruto de um período em que ninjas eram confundidos com samurais, espiões e… Hitler?

Antes de começar a ler o texto, recomendo fortemente clicar no play abaixo. Leia a crítica com a vibe do filme.

Kung Fury é um policial que perdeu o parceiro para um ninja do mal durante uma perseguição. Prestes a ser morto pelo mesmo inimigo, ele encarna as habilidades do escolhido de uma profecia shaolin antiga. O Kung Fury. De repente, Hitler aparece no presente. Ele também era um grande lutador de kung fu mas sempre temeu a vinda do Kung Fury, então viajou no tempo para enfrentá-lo.

Captura de Tela 2015-06-01 às 23.43.50O vilão Kung Führer.

Parece uma costura bizarra de vários filmes que envelheceram mal da década de 1980? É porque Kung Fury é uma homenagem de meia hora ao período. Realizado com financiamento do kickstarter, a produção sueca simula o estilo de videotape das obras do período e, com computação, cria ambientes e defeitos de VHS. Mas em um filme com resolução de 1080 pixels.

Com exceção de algumas poucas cenas, tudo foi realizado com os atores diante de um fundo verde. Muitas vezes diálogos não são proferidos entre atores que estavam no mesmo lugar. Grande parte do que é Miami e a Alemanha é computação gráfica. Nesses cenários digitais, muito grafite e papeis colados nas paredes. A fotografia é cheia de luzes duras com as cores rosa, verde, amarelo e azul, típicas do neon que tomava conta dos anos 1980. Com efeitos de computador, ele faz com que as fontes de luz criem borrões na imagem, como o videotape fazia. Então distorce imagem e som como se a fita magnética do VHS tivesse envelhecido.

Captura de Tela 2015-06-01 às 23.49.31O time dos mocinhos. Loucura pouca é bobagem.

Isso sem contar com inúmeros detalhes minuciosos. Sejam as roupas, cabelos e maquiagens típicas de filmes da época. Os efeitos de raios realizados através de animação tradicional sobre a película. Pequenos objetos de cena escondidos, como a Power Glove, telefones celulares que parecem tijolos, uma sequência extraordinária de animação, a atuação propositadamente inexpressiva dos atores.

Trata-se de uma simulação perfeita de tudo o que era exagerado, mal feito, ignorante, estúpido e ultra-estilizado dos anos 1980. Elevado à enésima potência mas interpretado como se fosse sério, vira uma comédia involuntária de propósito. Uma ficção-científica, ação, filme de tira, de kung fu, de dinossauros, desenho, live-action, estilo, Hitler, vikings, mitologia nórdica, mullets e, obviamente, humor. Assista embaixo.

ALLONS-YYYYYYYYY…

Sobre Vina

Publicitário frustrado, editor, cinegrafista, assistente e sonhador. Cinema é algo que não se entende completamente. Sempre se estuda.
Esse post foi publicado em Filmes e marcado . Guardar link permanente.

Uma resposta para Kung Fury

  1. Pingback: Filmes divertidos de 2015 | Aquela velha onda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s