1001 Filmes #23 – Sherlock Junior

coragem.jpg

No texto deste filme no livro 1001 Filmes para se Ver antes de Morrer, o autor afirma assertivamente que os filmes do Buster Keaton provavelmente são os mais acessíveis em toda a história do cinema mudo. Se existe uma prova para isso é Sherlock Junior, chamado no Brasil também como Bancando o Águia, uma comédia de ritmo alucinante.

Através de metalinguagem, Keaton conta a história de um funcionário de cinema aspirante a detetive que expurga as frustrações das próprias incapacidades ao sonhar que é um herói de filmes. Na verdade, Sherlock Junior se divide em duas partes: a realidade do projecionista perdido e as aventuras da contraparte sonhada.

O filme tem enxutos 44 minutos de duração. O suficiente para contrapor as duas narrativas com a discussão sobre os valores pessoais e dos heróis; para criar as sequências maníacas de ação que o próprio Keaton protagonizava; e para satirizar as incoerências felizes e convenientes do cinema.

filme dentro do filme

Buster Keaton em elaborado plano sequência. Tela emoldurada no plano do filme.

Aqui se destaca uma sequência extraordinária da produção. Quando o projecionista interpretado por Keaton dorme e a consciência sai do corpo para poder entrar no cinema, o diretor faz algo brilhante, revela como o universo do cinema não condiz com a realidade. Ao tentar entrar na tela, o projecionista sofre com os cortes da montagem enquanto um plano contínuo revela que o tempo e o espaço não mudam na vida real. O método cria uma brincadeira dimensional que só seria discutida em peso décadas depois na Nouvelle Vague, quando o Godard viria a mudar de tempo e espaço sem fazer cortes.

Mais tarde, no fechamento do filme, tanto o herói idealizado do cinema quanto o projecionista sem jeito estão emoldurados para fazer essa brincadeira de metalinguagem, mas a piada final deixa claro: Com um salto momentâneo todos os problemas passam em menos de um segundo no cinema, na vida real é muito mais complicado e difícil.

enquadrado

Quando se enquadra o homem comum, ele não se destaca como o fictício.

O humor de Keaton é construído em cima das acrobacias comuns dos filmes dele, mas muito também do absurdo do comum em contraste com as estripulias que interpretava. Neste filme chegou a quebrar uma vértebra no pescoço sem perceber. Cai de prédios para dentro de carros, se mete em cima do guidão de uma moto enquanto escapa de trens, carros em alta velocidade e até de pontes que são destruídas.

O nível de insanidade é tal que influenciou nomes como Jackie Chan, Steven Spielberg, Woody Allen, Wes Craven, Chuck Jones e até a interpretação do Johnny Depp. Um filme divertido, rápido, inteligente e que propõe uma reflexão. Assista essa maravilha abaixo em ótimos 720p de qualidade.

ALLONS-YYYYYYYYYYY…

Sobre Vina

Publicitário frustrado, editor, cinegrafista, assistente e sonhador. Cinema é algo que não se entende completamente. Sempre se estuda.
Esse post foi publicado em 1001 filmes e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s