As Tartarugas Ninja: Fora das Sombras (Teenage Mutant Ninja Turtles: Out of the Shadows – 2016)

Os quatro pintores renascentistas

Filhos dos anos 90, uni-vos! O novo Tartarugas Ninja, com direção de Dave Green e produção do especialista em ação superficial cheia de efeitos especial, Michael Bay, parece feito sob medida para quem era fã da série naqueles nostálgicos anos em que ela estava na TV.

Além das quatro tartarugas especialistas em artes marciais, Fora das Sombras traz o vilão principal da série, Krang, o cérebro do tecnodromo, a dupla Bebop e Rocksteady, Casey Jones, particularmente, um dos meus preferidos (máscara e taco de hockey fazem um look bem descolado) e muito bem interpretado por Stephen Amell. Também vemos o retorno de April O’Neil, novamente através dos lábios sensuais de Megan Fox.

Para quem não se sentiu satisfeito com o primeiro filme, o Fora das Sombras traz o que há de melhor em termos de efeitos especiais, tornando a visão das personagens antropomorfas verdadeiramente prazerosa, especialmente se tirarmos o 3D, sempre descartável. As cenas de ação são intercaladas por piadas e todo tipo de brincadeira de fácil compreensão, tornando a união entre humor e efeitos visuais perfeita para o público mais jovem.

April e Casey Stephen Amell é novidade como Casey Jones.

O Brasil foi palco para uma das mais densas cenas de ação (para minha grande surpresa), e ela aconteceu em um cenário deveras inesperado: as cataratas do Iguaçu. Várias personagens animadas ocupam a tela, giram e se acertam ao mesmo tempo, mas mesmo aí o diretor consegue dar um quê de organização e evita transformar tudo numa bagunça.

Como a imensa maioria dos filmes de ação, o roteiro assinado por Josh Appelbaum e André Nemec, os mesmos responsáveis (ou culpados) pelo fiasco do primeiro Tartarugas Ninja, tem a profundidade de uma piscininha infantil. Mas quem já está familiarizado com a saga dos mutantes ninjas sabe que a superficialidade e a ação pela ação era uma das características da série. De fato, é possível que tudo ficasse estranho se Michelangelo e Leonardo de repente aparecessem refletindo sobre a vida, o universo e tudo mais enquanto mastigam pizza e metem socos nos vilões.

Bebop e Rocksteady Bebop e Rocksteady. Vilões clássicos.

Portanto, para aqueles que esperam um filme de ação cheio de por quês, personagens complexas e roteiro denso, Tartarugas nunca será um bom filme. Para quem quer reviver aquela onda de infância e para o público infantil, contudo, a sequência promete ser um bom passatempo.

Esse post foi publicado em Filmes e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s