Jack Reacher: Sem Retorno (Jack Reacher: Never Go Back, 2016)

jack-reacher-5

O ex-militar Jack Reacher (Tom Cruise) está de volta em um novo filme. Desta vez, ele retorna a Washington para jantar com uma major, Susan Turner. Quando chega à cidade, descobre que ela foi presa acusada de espionagem. Desconfiado de que isso não seja verdade, Reacher começa a investigar e acaba descobrindo uma grande conspiração.

Jack Reacher: Sem Retorno – sequência de Jack Reacher: O Último Tiro – tem Edward Zwick (O Último Samurai e Diamante de Sangue) na direção e coautoria do roteiro, inspirado na obra de Lee Child. Richard Wenk e Marshall Herskovitz são os outros roteiristas. O elenco conta com Tom Cruise, Cobie Smulders (Major Turner), Aldis Hodge (Espin), Danika Yarosh (Samantha) e outros.

reacher-1

Os três perseguidos.

Um Reacher mais humano é apresentado ao público. O ex-major agora vaga pelos EUA e acaba se envolvendo em investigações pelo caminho. Quando vai para Washington, descobre a existência de Samantha, uma jovem de 15 anos que pode ser sua filha, que também passa a ser perseguida por essa possível ligação. Este acontecimento, principalmente, mostra uma maior sensibilidade no personagem.

A sequência traz menos ação e não é iniciado em um ritmo tão rápido, se comparada ao primeiro filme da franquia. Reacher e Turner foram incriminados por crimes que não cometeram e, por isso, passam a ser procurados pela polícia militar. Eles, às vezes acompanhados de Samantha, fogem do Exército e de mercenários que os perseguem, ao mesmo tempo em que tentam desvendar um esquema de contrabando.

null

Casal sempre em fuga.

A fuga é a principal responsável pelas cenas de ação. Apesar de conter diversos clichês, um dos pontos altos do filme é a direção, que não deixa o espectador perder a compreensão e os detalhes dessas cenas. Em momentos de luta, por exemplo, o público muitas vezes se perde, devido aos cortes e à rapidez com que os movimentos ocorrem. Em Jack Reacher: Sem Retorno isso não acontece.

O longa-metragem tenta passar lições feministas, mas falha em momentos contraditórios à mensagem. Uma personagem com grande potencial, Susan Turner, é pouco explorada e acaba se tornando uma mera sidekick de Reacher. A presença de Samantha pode desapontar os fãs que esperam prioritariamente por ação; no entanto, também pode agradar quem gosta de conhecer um lado mais sentimental de personagens. De qualquer modo, a possível filha participa de algumas cenas de ação interessantes, e ambas as atrizes se destacam em suas interpretações.

No geral, a sequência é boa, apesar de o primeiro filme da franquia ser melhor. Um ponto interessante é que, além de ter cenas de ação, ela também apresenta muitos momentos divertidos, com algumas piadas e comentários cômicos. Mas, leitores, preparem-se para ver Tom Cruise – em seus 54 anos – com o rosto um tanto artificial (que claramente passou por cirurgia plástica). Ainda assim, continua sendo um ótimo ator, que não tem medo em dispensar dublês e entrega um bom resultado de interpretação.

Leia também: Tom Cruise é um cara legal

Sobre Deborah Novais

Eterna perdida nos próprios pensamentos e sonhos, que ainda acredita em um mundo melhor. Louca que escolheu o Jornalismo como forma de ganhar a vida, mas nutre por ele sentimentos conflitantes. O amor pelas diversas formas de arte a acompanha desde que se entende por gente. Não troca Netflix, cinema, shows e teatro por quase nada.
Esse post foi publicado em Filmes e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s