Mundo da Mari – Moana: Um Mar de Aventura (Moana – 2016)

patota no barco prestes a viajar.jpeg

Após uma massiva campanha publicitária, finalmente estreou Moana: Um Mar de Aventuras. Por se tratar de Disney, não é nenhuma surpresa o nível de divulgação. Lançado primeiramente no Estados Unidos no final de novembro do ano passado, a animação arrecadou quatro vezes mais do que o orçamento, e chegou aos nossos cinemas somente esta semana, em 5 de janeiro.

Dirigida por John Musker e Ron Clements. Dupla que também foi responsável por A Pequena SereiaAladdin e A Princesa e o Sapo. Este é o primeiro musical de Dwayne Johnson, que dubla Maui. O filme traz algumas pequenas referências a outras animações do estúdio e é preciso estar atento. As canções foram compostas por Lin-Manuel Miranda, compositor da Broadway, que afirmou que um dos personagens, o caranguejo gigante, é uma homenagem ao saudoso músico David Bowie.

Moana é nativa da ilha Polinésia, Motuni. Filha do chefe de uma tribo e sucessora do cargo, ela tenta se envolver com as decisões da ilha. Conforme o tempo passa, percebe que a vegetação já não é a mesma. Que não havia mais peixes nos limites do recife para pescar, e que os cocos estavam podres. Quando criança, foi escolhida pelo oceano para devolver o coração da deusa Te Fiti, criadora de toda a vida, ao lugar devido, uma vez que o semideus Maui o roubou. A deusa amaldiçoou todas as ilhas que ela havia criado e causou tantos males à ilha natal de Moana.

moana-controla-agua

Moana, a escolhida do oceano.

Moana: Um Mar de aventuras, consiste na grande missão em que o oceano designou à garota que dá nome ao filme, devolver o coração de Te Fiti. Para isso, como todo filme da Disney, ela tem um mascote engraçado e muitas vezes bobo. No caso, um galo desorientado. Com o semideus Maui, ela segue em direção à ilha para devolver o coração em formato de pedra.

Não há romance nesta animação, a história é pautada nas relações de Moana com a família, na proximidade com a avó e na amizade que surge entre ela e Maui. Por diversas vezes a personagem principal duvida da capacidade de realizar a missão, mas sempre que fraqueja, a lembrança da parente a ajuda a crer em si mesma. Uma lição clara de que é preciso acreditar no potencial pessoal e seguir em frente.

O respeito à natureza é tema central da produção. Os diretores viajaram para a região para dar mais autenticidade ao filme. É notável que o oceano é importante para os habitantes do Pacífico Sul como algo que une e conecta as ilhas.

semideus-tatuado

Maui vira aliado de Moana.

Desde a última publicação na coluna, que deveria ser semanal, a Mari cresceu. Ao assistir Moana, não houve tantos risos e gargalhadas como antigamente. O gosto dela está cada vez mais apurado e seletivo, mas, mesmo assim, o filme causou risadas, e inspirou a pequena moça mais uma vez. A história de Moana realmente inspira. Ela é uma representante feminina que vai em busca de algo, persiste no caminho mesmo quando tudo aponta para o desastre. A personagem se mostra uma amiga valiosa e uma verdadeira líder.

Beijo Enorme!

Sobre Aysla de Oliveira

De essência ímpar, feminista, amiga, justiceira em tempo integral e mamãe da Mari.
Esse post foi publicado em Filmes, Mari e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Mundo da Mari – Moana: Um Mar de Aventura (Moana – 2016)

  1. Pingback: A Princesa e o Sapo (The Princess and the Frog – 2009) | Aquela velha onda.

  2. Pingback: Aladdin (1992) | Aquela velha onda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s