Grandes filmes de 2016

apurando-pelo-telefone

Em tempos de facilitação para assistir filmes e outros conteúdos em casa, é preciso que uma obra seja muito boa para que alguém se dê ao trabalho de se locomover até um shopping, tenha que encontrar vagas em estacionamentos lotados e gaste muito dinheiro com um ingresso. Infelizmente, 2016 foi um ano de muitas decepções em termos de cinema, mas ainda teve lançamento de grandes produções, que merecem esse esforço da audiência.

Ainda na mudança das retrospectivas deste ano, igual à de filmes ruins e divertidos, a lista dos grandes de 2016 foi feita com uma média dos favoritos dos colaboradores do Aquela Velha Onda. Para que as produções pudessem ser consideradas, devem ter sido lançadas nos cinemas brasileiros durante o ano e vistas por um dos colaboradores.

Rogue One: Uma História Star Wars (Alexandra Kalogeras, Maria Júlia Salloum e Ana Luiza Medeiros e Deborah Novais) estrela-da-morte-no-horizonte

A Disney está com tudo. Detentora dos direitos da Pixar, da Marvel e da Lucas Films, a renda anual do estúdio está sempre na casa do bilhões. Em grande parte por conta de planos de filmes a longo prazo. Rogue One foi o primeiro filme fora da franquia principal de Star Wars e agradou por dar mais valor para a jornada do longa original de 1977 e, ainda, mostrar que o universo pode receber novos gêneros.

Os 8 Odiados (MJS e ALM) Poster bonito

Mais uma brincadeira de gênero do diretor Quentin Tarantino. Ao fazer um filme de horror no contexto típico de faroeste, homenageou o clássico O Enigma de Outro Mundo em tal nível que conseguiu até resgatar uma música que não foi usada na obra celebrada. Agradou especialmente a Maria Júlia e a Ana Luiza.

Capitão Fantástico (Vinícius Brandão e DN) captura-de-tela-2016-12-08-as-23-37-11

Surpresinha independente que chegou de supetão no fim do ano, Capitão Fantástico fez pensar e divertiu ao mesmo tempo. Só por isso já seria merecedor de estar nesse tipo de lista, mas ainda fez uma reflexão tão rica e boa. É difícil não ficar dias pensando na mensagem e nos acontecimentos. O Vinícius e a Deborah não deixaram passar em branco.

O Regresso (MJS e ALM) DiCaprio fodido

Esse dividiu a crítica. Enquanto muitos exaltam o valor técnico, cinematográfico e visual, outros são desdenhosos com a simplicidade da jornada de vingança baseada em fatos reais que não é tão semelhante ao que se vê no filme. A Maria Júlia e a Ana Luiza apoiam a presença na lista.

O Quarto de Jack (VB e DN) Jack no quarto

Um dos filmes mais fortes de 2015, O Quarto de Jack só chegou por aqui próximo ao Oscar para aproveitar a publicidade gratuita da cerimônia. Mas a obra é tão boa que não precisava do empurrão. Quase um tratado sobre perspectiva de vida, a história do menino que cresceu em um quartinho emocionou o Vinícius e a Deborah.

Ave, César! (VB e DN) culpa religiosa

Exaltados como dois dos melhores realizadores atuais, o que é justo, os irmão Coen soltam de tempos em tempos uma pequena pérola nos cinemas. A da vez é uma homenagem divertida e inteligente à arte como um todo. Entre os absurdos de Hollywood, o filme revela as motivações para fazer filmes. O Vinícius e a Deborah concordam com a mensagem.

A Bruxa (VB e AK) religiosos

Feito para passar na TV, A Bruxa ganhou os cinemas quando foi exibida timidamente em festivais e os trailers começaram a mostrar uma obra de visual intenso e linguagem incômoda. Ideal para o gênero de horror. O Vinícius e a Alexandra gostaram ainda mais quando assistiram e descobriram uma subversão de valores tradicionais religiosos. E, é claro, a cabra preta mais fofa e assustadora.

Doutor Estranho (AK, ALM e Diana Tavares) doutor-estranho-se-esforc%cc%a7a-pra-soltar-magia

Essa pegou a todos de surpresa. Nem mesmo a Alexandra, a Ana Luiza e a Diana, que colocaram o filme na lista, imaginavam que esse herói diferente da Marvel chegaria na versão final. Doutor Estranho está entre os personagens menos conhecidos das histórias em quadrinhos, mas já é um dos mais queridos do site.

Spotlight (VB, MJS, DN e ALM) equipe jornalística

Empatado no primeiro lugar, Spotlight era quase obrigatório. Os colaboradores do site são todos jornalistas e adoraram a história da equipe que descobriu, depois de anos de apuração e de pressão contrária, o maior escândalo da igreja católica nos últimos vinte anos. Quase unanimidade da equipe.

Deadpool (AK, DN, ALM e DT) close de bunda

Eis a grande surpresa. Pela segunda vez, um filme é escolhido como o melhor e também como o mais divertido do ano no site. Deadpool já é um dos possíveis indicados ao grande prêmio do Oscar, tem sido reconhecido por sindicato de diretores, roteiristas e atores, e também é uma extraordinária subversão de linguagem e narrativa.

Acabaram as listinhas do começo de ano. Foi rápido, mas divertido. 2016 lacrou com um gostinho de que faltou alguma coisa. Que 2017 tenha opções mais variadas para os amantes de cinema.

 

Sobre Vina

Publicitário frustrado, editor, cinegrafista, assistente e sonhador. Cinema é algo que não se entende completamente. Sempre se estuda.
Esse post foi publicado em Discussão e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s