O Castelo de Vidro (The Glass Castle – 2017)

Glass 6

O crescimento de uma jovem em uma problemática família, em que o pai é obcecado pela construção de um castelo de vidro, é tema na produção que estreia nos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (24/8). Uma trama assim pode recorrer facilmente à pieguice. Mas será que esse é o caso do novo filme?

A direção de O Castelo de Vidro é comandada por Destin Daniel Cretton (do ótimo Temporário 12, que tem a mesma atriz como protagonista), enquanto o roteiro é assinado em colaboração com Andrew Lanham (A Cabana) – baseado no livro homônimo de Jeannette Walls.

Glass 7

O excêntrico casal Walls

Já o elenco conta com Brie Larson (O Quarto de Jack e Temporário 12), Woody Harrelson (Onde os Fracos Não Têm Vez), Naomi Watts (Cidade dos Sonhos e King Kong), Max Greenfield (New Girl), Josh Caras (Bugcrush), Sarah Snook (Jessabelle: O Passado Nunca Morre), Brigette Lundy-Paine (Atypical), Ella Anderson (A Chefa), Iain Armitage (Big Little Lies), Chandler Head e muitos outros.

O enredo acompanha a história de Jeannette (Larson), desde a infância até o início da década de 1990, que cresce em uma família disfuncional de nômades. O pai alcoólatra e a mãe artista têm quatro filhos, que percebem que podem apenas contar uns com os outros se quiserem ter um bom futuro. A protagonista é a segunda mais velha e a mais próxima à figura paternal Rex.

Glass 4

Durante a trama, a família muda de casa várias vezes. No início iludidos pelos lindos discursos e sonhos do pai, passam a perceber que a realidade não é tão simples assim

A montagem se inicia em 1989, quando a já então jornalista Jeannette está em um jantar de negócios com o noivo David (Greenfield). Na volta para casa, vislumbra os pais revirando lixo, e a partir daí começa uma série de flashbacks que mostram o crescimento e amadurecimento da personagem principal.

Brie Larson mostra mais uma vez que veio para marcar o cinema, mas quem comanda o filme de verdade é Woody Harrelson. O ator está magnífico do papel do perturbado, porém amoroso, pai Rex. Naomi Watts convence como a mãe Mary. Já os atores que interpretam os irmãos na fase adulta não têm muito destaque. Ella Anderson, que interpreta Jeannette no início da adolescência, e Chandler Head, durante a infância, se destacam muito. O elenco que dá vida aos filhos no momento em que estão mais novos, quando a caçula ainda não havia nascido, tem boas crianças.

Glass 5

Rex acredita que o essencial se aprende com as experiências, como as proporcionadas pela natureza. Por isso, não apoia que os filhos frequentem o colégio

Apesar de a personagem principal ser Jeannette e a questão em foco ser a relação dela com Rex e as consequências dela, era possível ter aprofundado – mesmo que de leve – mais a história dos demais irmãos, principalmente da caçula Maureen (Lundy-Paine, Shree Crooks e Eden Grace Redfield), que saiu prejudicada.

O figurino foi escolhido de bom modo e realmente situa o espectador na época correta. As memórias, apresentadas pelos flashbacks, vêm à tona em momentos costurados de forma bonita e coerente na edição de Nat Sanders (Moonlight: Sob a Luz do Luar). A linda fotografia apresenta paisagens belíssimas, enquanto a família Walls migra de um lado para o outros nos Estados Unidos.

O Castelo de Vidro dá uma grande lição sobre enfrentar o sofrimento, ao invés de simplesmente trancá-lo à sete chaves e esquecer que existe, para então poder viver plenamente. De modo perturbador, ele mostra uma vida marcada por acontecimentos traumáticos ocasionados, principalmente, por um pai que desconta as próprias feridas nos filhos. É tão real que dói na alma. O público é capaz de sentir uma profunda empatia e sofrer com os personagens; se indignar com as situações que são impostas e, ao mesmo tempo, se emocionar.

Sobre Deborah Novais

Eterna perdida nos próprios pensamentos e sonhos, que ainda acredita em um mundo melhor. Louca que escolheu o Jornalismo como forma de ganhar a vida, mas nutre por ele sentimentos conflitantes. O amor pelas diversas formas de arte a acompanha desde que se entende por gente. Não troca Netflix, cinema, shows e teatro por quase nada.
Esse post foi publicado em Filmes e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s