Mãe! (Mother! – 2017)

Mother 2

Depois de três anos desde o lançamento de Noé, Aronofsky está de volta em um trabalho que promete, no mínimo, fazer o público se contorcer de agonia.

O longa, além de dirigido, também foi escrito por Darren Aronofsky, responsável pelo premiado Cisne Negro. Nos papéis dos protagonistas, estão Jennifer Lawrence (O Lado Bom da Vida) e Javier Bardem (Onde os Fracos Não Têm Vez). Também fazem parte do elenco Michelle Pfeiffer (Scarface), Ed Harris (Pollock), Brian Gleeson (Branca de Neve e o Caçador) e Domhnall Gleeson (Questão de Tempo).

Mother 5

Javier Bardem interpreta um escritor em busca de inspiração

Um casal vive isolado em uma casa no campo, que foi recentemente reformada pela mulher. O marido é um escritor em busca de inspiração, enquanto a esposa leva uma vida de dona de casa e tenta fornecer o máximo de conforto ao amado. A vida de ambos muda quando dois estranhos aparecem e acabam ficando hospedados lá.

Apesar de Bardem e Lawrence protagonizarem a produção, quem realmente se destaca são Ed Harris e Michelle Pfeiffer. Não que os outros não estejam bem, mas o casal está muito melhor. Até os diversos figurantes são de grande acréscimo ao resultado final do filme. Na nova produção, os nomes dos personagens não são citados.

Mother 3

Tudo começa a mudar a partir do momento em que o casal de estranhos se hospeda na casa

Não tarda a ser criada uma atmosfera de desconforto que permeia durante todo o restante da trama. Isso se deve em parte aos planos subjetivos, que fazem com que o espectador passe a sentir as mesmas coisas que a personagem de Lawrence. E tudo é ainda mais torturante com os sons – no meio diegético – presentes nas cenas. Cada barulhinho tem a função de mexer com o público. E ainda são feitas diversas referências bíblicas que, quando compreendidas, deixam a experiência ainda mais interessante.

Apesar de ser definido como terror por muitos, é mais um suspense psicológico. Ele não dá sustos, mas angustia fortemente. Causa uma sensação de estranhamento, cansaço e incômodo, e são apresentadas cenas fortes que embrulham o estômago. Mãe! dá raiva, pena, desespero, náusea; ao mesmo tempo em que consegue levar lágrimas aos olhos do público. É o tipo de filme que você pode sair odiando, amando ou até mesmo sem saber o que sentir. Mais um trabalho do Aronofsky que perturba a mente do espectador.

Sobre Deborah Novais

Eterna perdida nos próprios pensamentos e sonhos, que ainda acredita em um mundo melhor. Louca que escolheu o Jornalismo como forma de ganhar a vida, mas nutre por ele sentimentos conflitantes. O amor pelas diversas formas de arte a acompanha desde que se entende por gente. Não troca Netflix, cinema, shows e teatro por quase nada.
Esse post foi publicado em Filmes e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Mãe! (Mother! – 2017)

  1. Renan Almeida disse:

    Um filme bem intenso. O trailer não havia me preparado para uma experiência como essa. Esperava ver um terror convencional, mas acho que a surpresa foi boa, afinal. Um dos melhores filmes do ano, até o momento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s