Do Jeito que Elas Querem (Book Club – 2018)

Book Club 1

Um renomado elenco, cheio de vencedores e indicados a grandes premiações, se une para fazer uma comédia da terceira idade. Além de ter quatro personagens principais, o filme ainda tem fortes pitadas de romantismo. Confira abaixo se a ideia funciona.

Vivian, Diane, Sharon e Carol são amigas de longa data que se reúnem mensalmente para um clube do livro. Desta vez, a escolha da obra (Cinquenta Tons de Cinza) parece desnecessária, mas pode causar várias mudanças nas participantes. De bônus, antigos e novos interesses amorosos surgem nas vidas delas.

Book Club 7

Jane Fonda (Amargo RegressoKlute, O Passado Condena), Diane Keaton (Annie Hall), Mary Steenburgen (Melvin e Howard e De Volta para o Futuro 3) e Candice Bergen (Murphy Brown e Encontros e Desencontros) protagonizam o filme. Nos papéis dos coadjuvantes, estão Andy Garcia (O Poderoso Chefão III), Craig T. Nelson (Coach), Don Johnson (Miami Vice) e Richard Dreyfuss (A Garota do Adeus). O filme tem a direção do novato Bill Holderman, que coescreveu o roteiro com a também iniciante Erin Simms.

As risadas são garantidas durante a sessão. Constantemente, os personagens soltam comentários divertidos, seja pela identificação, pela referência (como a Werner Herzog e aos personagens de E. L. James) ou pela simples função de humor.

O elenco, como esperado, continua incrível. O papel de Diane Keaton lembra muito a Annie Hall (personagem desempenhada por ela em Noivo Neurótico, Noiva Nervosa), com aquela excentricidade, o que só faz o público amá-lo ainda mais. Fonda permanece no estereótipo de rica e bem sucedida que tem feito há alguns anos. E ele continua funcionando para a atriz.

Steenburgen entrega uma doce mulher com o desejo de reacender a chama do desejo entre ela e o marido. Já Bergen é a incrédula e amarga idosa responsável pelas cenas mais divertidas do longa-metragem, à medida em que vai aprendendo a sair da caixinha. Por mais clichês que as personagens possam parecer, funciona muito bem.

Do Jeito que Elas Querem é muito mais que uma comédia, apesar de fazer o espectador gargalhar constantemente. A obra é sobre uma jornada de aceitação, sobre se permitir ir além do que está acostumado e, sobretudo, o envelhecimento. O elenco fantástico só reforça a qualidade de um roteiro que, inicialmente, parece bobinho, mas acaba por se revelar um ótimo trabalho. Não é um filme apenas para  passar o tempo no cinema; ele também é capaz de despertar reflexões.

Sobre Deborah Novais

Eterna perdida nos próprios pensamentos e sonhos, que ainda acredita em um mundo melhor. Louca que escolheu o Jornalismo como forma de ganhar a vida, mas nutre por ele sentimentos conflitantes. O amor pelas diversas formas de arte a acompanha desde que se entende por gente. Não troca Netflix, cinema, shows e teatro por quase nada.
Esse post foi publicado em Filmes e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s